Dr Eduardo Adnet


Médico Psiquiatra e Nutrólogo

 

Excesso de Preocupação com o Corpo pode levar à Depressão

 

 

"Se você acha que ficar fazendo sucessivas dietas para emagrecer é algo depressivo, então você está certa. E esta é a parte que mais dói. E tudo por causa de um tipo de corpo "ideal" pelo qual muitas pessoas suspiram. Procuram corpos esbeltos, aparência perfeita, pensando que isto lhes trará mais poder de sedução, alegria e felicidade. Contudo, estas pessoas precisam se preparar para o desapontamento e para se tornarem deprimidas caso os resultados não sejam exatamente como desejavam. Foi o que revelou um estudo realizado pela Universidade de Bristol, na Inglaterra, onde uma equipe de cientistas e de psicólogos entrevistou pessoas de vários países da Europa. Não se trata de um estudo qualquer, mas um trabalho que durou 16 anos, onde mais de um milhão de pessoas foram examinadas. A pesquisa, que contou com cientistas europeus e outros especialistas revelou que, ao invés de ficarem confiantes e contentes, pessoas que emagrecem e que vivem preocupadas com o peso lutam para lidar com a ansiedade e sofrimentos mentais os mais diversos, e isto passa a ser algo que pode vir a dominar suas vidas. A tal ponto que elas se tornam muito mais propícias a comportamentos autodestrutivos e a sentimentos de melancolia do que as pessoas obesas, as quais aprenderam a lidar, de modo saudável, com seus próprios corpos e com sua auto-estima. Mais do que isso, o estudo aponta para um dado interessante: pessoas mais gordinhas tendem realmente a ser mais felizes do que as magras." (Roger Dobson and Tom Anderson. Publicado na seção Saúde e Medicina do Jornal Inglês - The Independent)

 

 

Menos Carboidratos, menos Serotonina = Mais chances de se ter Depressão

 

É isto o que afirma um dos maiores especialistas em perda de peso dos Estados Unidos, o Dr. Louis Aronne, do Hospital Presbiteriano de Nova York e do Weill Cornell Medical Center. Dr. Aronne explica que diversas das sensações de depressão que experimentam as pessoas que estão sempre fazendo dietas não é algo que se explique apenas por altos e baixos no humor simplesmente por causa da dieta. Para ele, a causa é de fundo metabólico:

"Quando as pessoas ingerem quantidades insuficientes de Carboidratos, isto irá interferir na produção de Serotonina e de Dopamina, dois neuro-hormônios relacionados à sensação de bem estar. Também temos observado que ao adicionarmos quantidades mais generosas de Carboidratos em pessoas que haviam cortado exageradamente os Carboidratos, o humor delas melhora". (Dr. Louis Aronne).

Tanto o estudo da equipe de Universidade de Bristol, bem como as observações do Dr. Aronne, e ainda diversos outros estudos e pesquisas, têm sugerido que existe uma estreita relação entre neurotransmissores cerebrais (Serotonina, Noradrenalina, Ácido Gama Aminobutírico, dentre outros), a produção de insulina pelo pâncreas e o estado do humor. Segundo esta linha de pesquisa e investigação, quanto menor for a quantidade de Carboidratos ingerida, menos Insulina, menos Serotonina e mais Depressão.

É certo que há determinadas categorias de Obesidade, as quais podem causar problemas de saúde e desconforto com a própria imagem. Porém, também é certo que diversas "dietas empacotadas" (como se houvesse uma fórmula genérica e eficaz de emagrecimento para toda e qualquer pessoa que deseja perder peso) são ineficazes e a falta de orientação especializada (a pessoa acredita que está fazendo uma dieta correta, mas não está) pode trazer consequências ruins para a saúde, tanto física como mental.

 

Dr Eduardo Adnet
Médico Psiquiatra e Nutrólogo

Especialista Titulado AMB/ABP/ABRAN